“Preencha o nosso formulário”, “Você esqueceu de responder um campo obrigatório do formulário”, “Agora, digite o captcha”, “Você não digitou os termos corretamente, tente outra vez.”

Quantas vezes você já se deparou com essas frases?

Os formulários, apesar de não serem uma experiência muito interessante para quem responde, são essenciais para um negócio. Eles coletam dados valiosos dos seus clientes como e-mails, telefones e endereços.

Bem, nós temos uma solução bem mais interessante: o chatform. Com ele, seu cliente vai preencher um formulário durante uma conversa com um sistema automatizado que, para ele, vai parecer uma conversa normal com seu atendente. Para entender melhor, siga a leitura e veja o quanto essa novidade pode te surpreender!

Sem medo dos bots: automação de marketing é tendência

“Ah, mas o meu cliente jamais vai gostar de conversar com um bot.”

A desconfiança com a automação de marketing, que é uma tendência mundial e dá ótimos resultados, ainda é um desafio. No entanto, pense conosco: quando você liga para a companhia telefônica, quem atende? Uma gravação, que vai encaminhá-lo ao ramal desejado.

E no banco, quem atende? Uma máquina, que diz onde você precisa ser atendido. E é assim também nas lojas virtuais, nas empresas de tecnologia e por aí vai. A automação de marketing está muito presente no nosso dia a dia.

Agora, voltemos ao nosso tema: os formulários.

Formulários têm um enorme potencial para derrubar o seu índice de conversões.

Vamos pensar em uma loja virtual: o cliente olhou o produto, gostou, mas antes de efetuar a compra precisou preencher algo entre sete a oito campos. Enquanto isso, abriu outra aba no navegador, postou algo no Twitter, assistiu a um vídeo no Facebook e viu algo interessante na TV…

Depois de tudo isso, esqueceu o que estava fazendo no celular e decidiu deixar a compra para depois. Ou decidiu que não teria tempo para isso. E você perdeu a venda.

Chatform: coletando dados de uma maneira interessante

É por isso que você precisa pensar em soluções como o chatform.

Dados mostram que 50% dos consumidores preferem ser atendidos por mensagens. Isso quer dizer que o seu cliente não quer mais ficar pendurado no telefone e nem perder tempo com longos formulários. Ele espera uma conversa inteligente, intuitiva e quer perder o mínimo de tempo.

Agora, pense o seguinte: você cria uma conversa com seu cliente.

“Qual o seu nome”? A resposta aguardada é o nome próprio.
Legal! E agora, me diga o seu e-mail?” A resposta esperada é o e-mail.

Isso é um chatform. É muito simples criar um.

Tudo o que precisa fazer é definir os dados que pretende coletar e quais perguntas quer fazer para seu/sua cliente. Por meio de uma plataforma intuitiva, como a da Huggy, isso se torna ainda mais simples.

Por exemplo: você tem um restaurante com uma promoção interessante via check-in do Facebook. Se a pessoa der o check-in, ganha um café expresso depois do almoço. Você tem o perfil dessas pessoas no Facebook. Que tal se aproximar dela no Messenger?

Você pode criar um chatform, na plataforma, para divulgar o serviço de entregas do restaurante. Pergunte o nome, o bairro onde mora, o e-mail, o que mais gosta no restaurante e quais são os momentos em que costuma pedir comida pela internet. Tudo isso por meio de uma conversa simples e informal, como entre duas pessoas.

Nisso, você pode descobrir que, a cada 10 pessoas que deram check-in no restaurante, sete gostam de pedir comida à noite – mas não vão ao restaurante à noite, por diversos motivos. E você se aproxima delas, perto do momento em que elas pensam em pedir comida, por meio de uma mensagem no Messenger do Facebook.

Você ganhou sete clientes potenciais. E coletou dados sem precisar de um longo formulário!

Além disso, provavelmente ganhou um reforço nas suas vendas. Segundo a empresa Forrester, especializada em comportamento do consumidor, 77% das pessoas valorizam empresas que aproveitam bem o tempo dos clientes. A mesma empresa não tem dúvida ao afirmar que a tendência para 2018 é a inteligência artificial. Segundo seu relatório, ferramentas como os chatbots vão mudar as estratégias de venda e os serviços ao consumidor.

Que tal apostar na inteligência artificial, nos chatforms e nos chatbots para melhorar seus resultados?

Não deixe de ler também: o potencial dos chatforms nas estratégias de venda.