Huggy

O que é Marketing Conversacional e como ele gera vendas

Empresas que investem em marketing conversacional podem fechar negócios com mais rapidez e fidelizar clientes.

Pensar em marketing e atendimento, no contexto do consumidor 4.0, é levar em consideração uma equação bastante complexa.

É preciso investir em ferramentas e estratégias capazes de conjugar critérios como instantaneidade, multiplicidade e integração de comunicação e contato em diversos canais.

Por isso, hoje vamos falar sobre o marketing conversacional.

***

Está em jogo, como nunca, a capacidade das marcas desenvolverem vínculo com seus prospects, suspects, leads, consumidores e parceiros.

Um cliente conquistado e fidelizado vale por muitas vendas, além de repercutir a imagem positiva da empresa em canais, como as redes sociais, espaços de reputação legítimos e que se transformaram em poderosas ferramentas de marketing.

Um indicativo claro disso vem de uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, divulgada no final de 2017.

Segundo o estudo, as redes sociais ocupam a terceira posição, quando se trata da confiança do brasileiro.

Com um índice de confiabilidade mapeado em 37%, elas só perderam para as Forças Armadas e a Igreja.

Estamos em uma atmosfera de consumo mais consciente e empoderado, que exige novas políticas de relacionamento e faz surgir conceitos inovadores para a gestão do marketing e das vendas.

Nesse post, vamos falar de uma dessas noções, o marketing conversacional e seus benefícios para a conquista de clientes.

***

Entendendo o marketing conversacional

Buscando sintetizar a abordagem em torno dessa noção, pode-se dizer que o marketing conversacional são os diálogos pessoais que as marcas desenvolvem com os consumidores, visando conexão, captura e qualificação de leads.

Um processo que deve ser encarado como parte de uma experiência de compra e relacionamento produtiva, acolhedora e capaz de gerar vínculo.

Afinal, quem não gosta de ser bem atendido?

Empresas que investem em marketing conversacional podem melhorar sua capacidade de fechar negócios com mais rapidez e fidelizar clientes.

As políticas agregadas a esse conceito estão focadas, principalmente, nas respostas em tempo real.

Para isso, é preciso estar muito antenado nos desafios de um universo digital, além de canais de comunicação diversificados.

Você sabia que estudos apontam que 90% dos consumidores preferem as mensagens como plataforma de contato com as marcas?

E que, de acordo com a Harvard Business Review, há uma redução de 10 vezes em suas chances de fazer contato com um lead após os primeiros cinco minutos?

No caso de uma demora de 10 minutos, a possibilidade de qualificar o lead reduz em 400%.

É nessa agilidade exigida pelo relacionamento, com personalização e adaptabilidade às plataformas preferidas pelo consumidor, que o marketing conversacional vai colaborar com as suas estratégias de comunicação e vendas.

***

O site como ponto de partida

A referência às políticas conversacionais está diretamente ligada ao uso, por exemplo, de chatbots e aplicativos de mensagens instantâneas em vez dos formulários online, que também pressupõem uma demora na resposta que empresas e clientes não querem.

Pensando nos caminhos a percorrer para uma estratégia efetiva de marketing conversacional, o site surge como um excelente começo.

O uso de bons assistentes virtuais deixará sua empresa em contato em tempo real, 24 x 7, com o usuário que acessa seu website.

Além de disponíveis e engajadores, os chats online usam robôs cada vez mais adaptados aos princípios de Inteligência Artificial (IA), direcionam atendimento, singularizam contato e ajudam a qualificar leads, recolhendo informações de interesse de compra e perfil dos visitantes do site.

Com essa atitude, suas equipes de atendimento terão um perfil mais consultivo e a área de vendas vai trabalhar com dados filtrados, atuando nos casos efetivos de interesse, com muito mais chance de fechamento de negócios.

Isso sem contar as vantagens de aumentar o tráfego do site da sua empresa.

***

Um norte para diversas ações

É muito importante ter em mente que, se o site é o ponto de partida para o investimento em marketing conversacional, de forma alguma, será um canal único de aplicação da estratégia.

O ideal é essa abordagem humana e dialógica se espalhe pelas estratégias de inbound e outbound marketing que sua empresa implementa, devendo estar presente nas ações de e-mail marketing e no uso de plataformas de publicidade digital, como  AdSEnse  e AdWords.

Materiais impressos e as abordagens diretas de telemarketing e reuniões de vendas também devem ser inclusos no pacote.

O uso de uma abordagem conversacional será o combustível que abastece suas ações de marketing e vendas, desenvolvendo presença de mercado e, principalmente, fixando a marca na mente do consumidor.

Na prática, o marketing conversacional é apontado como a única ferramenta de relacionamento efetivamente adaptada à natureza on demand de tempo real necessária para uma sociedade conectada e com perfil de consumo altamente exigente.

***

Sistematizando pontos de vantagem

1. Equipes humanas com foco consultivo e solucionador

A aposta nas ferramentas tecnológicas que dão suporte às ações conversacionais faz suas equipes de atendimento e vendas municiadas de informações e focadas em diferenciar sua marca.

Com mais tempo e dados, o staff pode ser mais assertivo e dispõe de mais tempo para uma abordagem diferenciada, personalizada e que busque soluções efetivas para os clientes;

2. Ciclo de vendas mais eficiente

Aumentando a agilidade de resposta, seu processo de vendas vai gerar e qualificar leads com muito mais rapidez e eficiência.

E com esse ganho na geração de leads, que também estarão melhores mapeados em termos de característica e perfil, as oportunidades de vendas aumentam;

3. Singularidade e escalabilidade de mãos dadas

Com o marketing conversacional, é muito mais fácil lidar com o velho dilema do atendimento de conseguir desenvolver ações que sejam personalizadas e, ao mesmo tempo, em larga escala.

Você conta com ferramentas que permitem segmentar públicos e abordar de forma pessoal e única fatias significativas de público;

4. Capacidade de atendimento altamente potencializada

O uso dos chatbots, por exemplo, torna possível uma quantidade de atendimentos inimaginável quando o foco único é o atendimento humano.

Sua marca potencializa resposta e fixa presença na mente das pessoas que a procuram.

***

Por fim, quando sua empresa desenvolve um contato mais pessoal, presente e solucionador, o resultado final só pode ser um cliente, prospect ou parceiro mais engajado.

Engajamento que se reflete em fidelidade, com muito mais chance de um relacionamento longo e produtivo.

Tudo isso em um contexto que permite feedback, análise e revisão constante dos processos para garantir melhores resultados.

 

Diego Freire

CEO at Huggy
www.huggy.io
diego.freire@huggy.io

Whatsapp Business

Add comment